Foto da assembleia da campanha salarial realizada no dia 20/01/2022

“Avisa na hora que tremer o chão
Amiga, é agora, segura a minha mão”
Elza Soares (“Libertação”)

“9% de forma linear”, essa foi a proposta entregue pelo governo ontem (20/01). O que significa esse “linear”? Segundo o secretário de Gestão por telefone, seria: 9% de reajuste no salário, 9% no Auxílio Alimentação e 9% na Cesta Básica. O sindicato pediu então que isso seja escrito no papel, mas a proposta corrigida ainda não chegou.

Na assembleia realizada ontem (20/01), os servidores avaliaram a proposta e decidiram responder ao governo que entendem que esses 9% já estão incorporados na negociação, mas que o governo pode melhorar muito mais. 9% não chega nem perto do suficiente. A inflação nesses quase 3 anos sem reajuste (o último foi em fevereiro de 2019) vai passar dos 20%. Ou seja, esses 9% na verdade é uma perda de, no mínimo, 11% dos nossos salários.

Essa ainda é a primeira proposta do governo. Se aceitássemos a primeira proposta desde o primeiro ano do governo Paulo Alexandre (PSDB, mesmo partido do atual prefeito) estaríamos agora com 9 anos sem nenhum reajuste. Isso só não aconteceu porque a categoria não abaixou a cabeça nesses últimos anos e fez grandes mobilizações.

ATO DE ENTREGA DA RESPOSTA

A categoria decidiu que irá junto com o sindicato entregar essa resposta ao governo na segunda-feira (24/01) às 17h no Paço Municipal (Praça Mauá, Centro). É muito importante que compareça o maior número de servidores possível nesse ato de entrega. A única força de negociação que pode mudar esses 11% de REBAIXAMENTO SALARIAL é a participação DIRETA e PRESENCIAL da categoria.

ATO NO ANIVERSÁRIO DA CIDADE

A assembleia também resolveu ir pra rua dialogar com a população. Aproveitando o feriado municipal no dia 26/01 (quarta-feira), nos mobilizaremos a partir das 10h da manhã na Praça das Bandeiras (Gonzaga). Precisamos mostrar tudo o que está acontecendo nos bastidores do serviço público: desvalorização dos servidores, terceirizações, sucateamento e essa tentativa de rebaixamento salarial.

ATO NA CÂMARA

Os trabalhadores decidiram ainda que farão uma mobilização na primeira sessão da Câmara após acabar o recesso dos vereadores (que voltam em fevereiro). O sindicato divulgará a data assim que ela for agendada.

COMPARE

Veja aqui tabela de comparação das nossas reivindicações, com a proposta do governo e com a atual situação:

Pauta Como está atualmente Reivindicação da categoria 1ª proposta do governo
Salário Mais de 20% do salário corroído pela inflação. Veja quanto você tem perdido todos os meses aqui. 24,62%, sendo 17,62% referentes à inflação desde março de 2019 (IPCA), 2% referentes ao aumento do desconto pro IPREV e 5% como parte das perdas históricas de anos anteriores. Caso a inflação aumente até fevereiro de 2022, o pleito será atualizado. 9%
Auxílio-Alimentação R$ 456,94 por mês (o que dá R$ 20,77 por dia). R$ 792 por mês (o que dá R$ 36 por dia) e a extensão do benefício ao 2° registro dos servidores com 2 registros funcionais. 9%
(R$ 498,06 por mês, o que dá R$ 22,63 por dia), sem extensão
Cesta Básica R$ 294, para ativos até o nível P e inativos até 4 salários mínimos. R$ 635 (conforme média publicada pelo próprio governo), bem como a extensão do benefício a todos os servidores da Prefeitura (ativos e inativos) e ao 2° registro dos servidores com 2 registros. 9%
(R$ 320,46), sem extensão
Contribuição da Prefeitura para a CAPEP 4% 5,5% (mais 1,5%). Silêncio
Escolha do presidente da CAPEP e IPREV Prefeito escolhe sem consultar servidores. Que se inicie um processo de mudança na Lei, de forma que os servidores possam ter participação concreta na escolha do presidente da CAPEP e IPREV. Silêncio
Quadro de funcionários Falta de pessoal em diversas áreas, sobrecarregando os servidores. Imediata abertura de concurso público para todas as áreas, nomeação dos trabalhadores aprovados nos concursos vigentes, cumprimento integral dos Planos de Carreira e criação de cargos em número suficiente para suprir a necessidade dos serviços públicos em todas as áreas Silêncio
Concurso para o CAPEP Faltam funcionários. Imediata abertura de concurso público para o CAPEP. Silêncio
Terceirizações pelas OSs/OSCIPs Desvio de dinheiro público para empresas privadas fazerem péssimos serviços para a população. Revogação das leis aprovadas em 2013, que autorizam a prefeitura a terceirizar os serviços públicos através de OSs, OCIPSs e ONGs e revogação de todas as atuais terceirizações na EDUCAÇÃO (Educação Especial, Cozinhas), na SAÚDE (Prontos Socorros, AMBESPs), na ASSISTÊNCIA SOCIAL (Acolhimento, Abordagem Social) e demais áreas. Silêncio
Reforma da Previdência Reforma aprovada diminuiu a remuneração e aumentou a idade mínima para aposentadoria. Revogação dos itens não obrigatórios na LEI COMPLEMENTAR Nº 1.139/2021 (IPREV). Silêncio
Adicional de Titularidade Lei restringiu o Adicional. Revogação da LEI COMPLEMENTAR nº 1.125/2021 que alterou as regras do adicional de titularidade do plano de carreiras dos servidores. Silêncio

PARTICIPE! COMPAREÇA!
SUA PRESENÇA É MUITO IMPORTANTE! SUA AUSÊNCIA PODE SER CRUCIAL!