Foto de um cartaz escrito: "Se um povo vai às ruas protestar em plena pandemia, é porque seu governo é mais perigoso que o vírus"

Dessa vez a vítima do governo santista foi uma auxiliar de Educação Inclusiva da UME Olívia Fernandes. Ela tinha apenas 37 anos. Começou a trabalhar na UME, através da terceirização via Organização Social (OS), no dia 24 de maio e, segundo o jornal A Tribuna, pegou covid-19 que evoluiu rapidamente a levando à óbito já no dia 3 de junho.

Na mesma unidade, mais dois casos de Covid-19 foram confirmados. Em nota, a Seduc informou que “já está tomando todas as medidas”. Que medidas? Vai trazer a professora de volta à vida?!? Vai pelo menos suspender as aulas presenciais em toda a rede?!?

Além do risco para os adultos (professores, funcionários, pais e familiares), o risco também é para os alunos. O Brasil é o 2° país com mais mortes de crianças por covid-19. Até o mês passado, perdemos 948 crianças de zero a nove anos.

TODOS AO ATO

Se já não bastasse as aulas presenciais que já mataram diretamente 5 trabalhadores (mais outros tantos indiretamente), o governo decretou a volta ao trabalho presencial de todos os servidores que estão trabalhando remotamente.

Não podemos aceitar essa política assassina calados! Somos obrigados a ir para às ruas protestar porque os governos se mostram tão perigosos quanto o vírus!

TODOS AO ATO UNIFICADO PELA VIDA!
09/06/2021 (quarta-feira), 11h, no Paço Municipal (Pça Mauá)