Fotos do prefeito antes da eleição e agora espalhando fake news

Semana passada o prefeito gravou vídeo acusando os servidores de espalhar fake news. Mostramos que quem estava mentindo na verdade era ele (veja aqui).

Mas vamos aproveitar a oportunidade para mostrar quem falta com a verdade. Veja algumas declarações que Paulo Alexandre deu para os servidores antes de ser eleito:

AUMENTO ACIMA DA INFLAÇÃO

Paulo Alexandre:
“Nossa pretensão é, sim, dar um aumento real para o servidor público. Ou seja, acima da inflação”

Realidade:
Os servidores tiveram que fazer duas greves para não ter os salários corroídos pela inflação.

Em 2013, assim que entrou na Prefeitura, o prefeito já tentou descumprir a promessa oferecendo 1,5%, sendo que a inflação no período tinha sido de 6,77%. Os servidores tiveram que fazer greve de um dia para conseguir 8% de abono que só foi incorporado em dezembro daquele ano.

Em 2017 a mesma coisa, o prefeito queria que não houvesse reajuste nenhum (ZERO%) enquanto a inflação batia nos 5,35%. Só depois de uma greve de 42 dias o governo recuou e concedeu os 5,35%.

CAPEP

Paulo Alexandre: 
“Se eu fosse prefeito não teria permitido que a CAPEP chegasse no estágio vergonhoso que se encontra”

Realidade: 
Deixou a CAPEP entrar no buraco novamente sim. Indicou o ex-presidente Eustázio que afundou a CAPEP em dívidas, perdendo inúmeros convênios. Depois, ignorou os inúmeros pedidos da categoria para tirar Eustázio. Só fez isso após muita pressão dos servidores.

Agora que o rombo já foi feito, o atual presidente quer que os dependentes dos servidores que paguem a conta.

CONCURSO PÚBLICO

Paulo Alexandre: 
“Concurso é sem dúvida o caminho natural para que as pessoas possam acessar o serviço público. Nós vamos incentivar a realização dos Concursos Públicos para todas as áreas que têm carência de servidores”

Realidade: 
Apesar dos Concursos realizados, faltam funcionários de diversos cargo em quase todas as unidades e secretarias. Isso porque o governo não chama em número suficiente para suprir as demandas das unidades.

Veja como o número total de servidores só cai:

Gráfico do número de servidores caindo de 12.165 (julho de 2015) para 11.757 (junho de 2019)*julho de 2015 é o primeiro mês disponível no Portal da Transparência.

Por outro lado, a terceirização através das OSs (Organizações Sociais) avançou e hoje 25% dos trabalhadores da saúde não são servidores concursados.

CONDIÇÕES DE TRABALHO

Paulo Alexandre: 
“Hoje o servidor não tem condições de fazer o atendimento da maneira que ele deve ser feito pela falta de infraestrutura. Nós temos que fazer a lição de casa, por parte da Prefeitura, ao oferecer condições adequadas para que o servidor público possa prestar o serviço”

Realidade: 
A falta de funcionários já é um grande fator para verificar que as condições de trabalhado estão péssimas. A estrutura física e falta de materiais são outros indicativos que comprovam isso. O lema desse governo é: PRECARIZAR PARA TERCEIRIZAR!

SERVIDOR VALORIZADO

Paulo Alexandre: 
“Tendo a oportunidade de ser prefeito, vou valorizar o servidor para que ele possa estar motivado”

Realidade: 
A recente tentativa de limitar o Adicional de Titularidade é só mais um dos ataques que do prefeito que comprova que a valorização do servidor era apenas mais uma promessa de campanha. Em 2013 aprovou as Leis da terceirização via Organização Social (OS). No final de 2015 diminuiu de 6% para 2% o repasse para o IPREV. Em 2017, apesar da greve ter sido considerada inteiramente Legal pela Justiça, Paulo Alexandre usou os descontos para se vingar dos servidores e suas famílias.

PRIORIDADE É O SERVIDOR

Paulo Alexandre: 
“O servidor será uma prioridade dentro do nosso governo”

Realidade: 
É nítido, público e notório que não. A prioridade do Paulo Alexandre sempre foi as empreiteiras amigas, as OSs e seu curral eleitoral.

PCCV (Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos)

Paulo Alexandre: 
“Não apenas cumprir, mas também discutir dentro de uma mesa de negociação permanente as melhorias que precisam ser feitas (…) no sentido de proporcionar melhores condições pro servidor na expectativa de progredir na carreira”.

Realidade: 
Apesar do Adicional de Titularidade estar numa Lei Complementar própria (fora da Lei do PCCV), esse benefício foi construído e conquistado com muito suor da categoria junto com o Plano.

Agora Paulo Alexandre quer restringir esse Adicional que faz parte dos Vencimentos, mas antes de ser eleito prometeu que cumpriria o PCCV integralmente e só mexeria nele se fosse pra melhorar.

E agora, quem espalha fake news mesmo???

“Esse é o nosso compromisso e sendo eleito eu quero ser cobrado por isso dentro de um diálogo permanente que a gente vai ter com o sindicato”, disse Paulo Alexandre. Pois bem, é isso que os servidores estão fazendo, tentando o diálogo, mas o prefeito insiste em fugir.

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.