Pressão por uma proposta decente: 01/11 (terça-feira), às 17h, no Paço Municipal (Praça Mauá, Centro).

No último ato da categoria, um dos vereadores governistas disse que o prefeito pediu para retirar o Projeto de Lei. Esse Projeto que estava na casa para votação não concede reajuste salarial, só Abono e somente para alguns servidores da ativa (veja aqui todos que estão de fora).

Agora os servidores irão até o Paço Municipal cobrar que o governo entregue para a categoria uma proposta decente. O ato será no dia 01/11 (terça-feira), às 17h, no Paço Municipal (Praça Mauá, Centro).

UM OLHO NO PEIXE OUTRO NO GATO

Além disso, os servidores continuam atentos à movimentação da Câmara dos Vereadores. O Projeto de Lei sem reajuste salarial ainda não foi retirado oficialmente.

Qualquer tentativa de manobra, os servidores serão convocados para irem novamente à Câmara.

NÃO ERA MELHOR O SINDSERV E A CATEGORIA TER DEIXADO COMO ESTAVA, AGORA TEM O RISCO DE FICARMOS SEM NADA?

1) A categoria não recusou os 20% no Auxílio-Alimentação e na Cesta Básica. No dia 20/09, informou ao governo que incorporava isso às negociações, mas que continuaria lutando pelo reajuste salarial e demais itens da pauta. Essa parte já poderia inclusive estar resolvida.

2) O governo não formulou nenhuma proposta de reajuste nos salários. Ou seja, ZERO%. Então não tem risco de perder nenhuma oferta anterior, pois até agora não houve nenhuma.

3) A proposta desse Abono (que não é reajuste salarial) era extremamente restrita e só atingia a uma parte dos servidores ativos. Somos uma categoria solidária, não permitiríamos que fizessem essa covardia com nossos colegas aposentados e com os servidores da câmara, com quem adoeceu, quem está emprestado etc.

Pense nos colegas: amanhã você estará aposentado, ou pode ficar doente, ou precisar dar uma falta injustificada. Pense em você que está ativo: mesmo se você está dentro dos critérios hoje, pode ser que não esteja até o final do ano e tenha que devolver o tal do Abono.

Servidores lutam, e sempre lutaram, por reajuste PARA TODOS!

4) Sim, sempre há o risco do prefeito não cumprir a palavra e tentar jogar a categoria contra os servidores que estão na luta. Foi isso que Paulo Alexandre fez em 2020. Para diminuir esse risco só tem um jeito: se incorporar na luta, participar ativamente, ajudar a decidir nas assembleias o momento de aceitar ou não etc. PARTICIPE!

TODOS AO PAÇO!
01/11 (TERÇA-FEIRA), às 17h, no Paço Municipal (Praça Mauá, Centro)!
SÓ A LUTA COLETIVA MUDA A VIDA!