Foto do Secretário de Gestão mandando no que os vereadores deveriam votar a favor e contra

Mais uma vez os vereadores provaram que são capachos do governo tucano. Aprovaram no dia 15/06 bovinamente o Projeto de Lei que restringe o Adicional de Titularidade, principalmente para os servidores de menor salário, ao mesmo tempo que aumentaram a remuneração dos que ocupam cargos em comissão.

Além disso, aprovaram as duas Emendas do vereador Rui de Rosis que pioram ainda mais o ataque (3 e 8). Das Emendas que reduziam os danos, a maioria (1, 6, 7, 10 e 11) foi rejeitada, uma (9) foi retirada pela própria autora (Audrey Kleys) e apenas quatro passaram (2, 4, 5 e 12). Veja o que é cada Emenda aqui.

Um manda, outro obedece

É escancarada a rédea curta com que o governo mantém os vereadores-capachos. O prefeito se fez presente nas 3 sessões na figura do Secretário de Gestão. O representante não se conteve em apenas ficar nos bastidores. Ficou o tempo todo do lado do vereador Rui de Rosis mandando, corrigindo suas falas e indicando qual deveria ser a votação. Cabia ao vereador apenas a missão de repassar as ordens aos demais.

Se pensassem com suas próprias cabeças, veriam que os argumentos do governo para punir os servidores são falsos. A arrecadação da Prefeitura não caiu (aumentou 2% de 2019 para 2020), o Gasto com Pessoal despencou (de 43,46% em 2019 para 41,36% em 2020) e os servidores estão 2 anos sem reajuste nem mesmo da inflação. Por outro lado, o próprio Projeto aumenta os salários dos cargos comissionados e os gastos com as Organizações Sociais aumentaram em 61%.

Seria apenas ignorância e rabo preso ou há outros interesses escondidos?