Charge do Eneko em que aparece parte de ossos das letras que formam a palavra "salário"

Lembram aquela promessa de continuar as negociações salariais mesmo após aprovar reajuste com apenas metade da inflação? Pois é, até agora nada do governo convocar reunião da Comissão de Negociação Sindical (CNS).

No começo do ano juraram de pé junto que 10,06% era o máximo que poderiam oferecer aos servidores. Apenas a metade da inflação que corroeu nossos salários (19,10%). Com os números publicados da própria Prefeitura, mostramos que era mentira, ainda naquele momento era possível sim reajustar os salários dos servidores sem PERDA SALARIAL.

Mas o governo conseguiu aprovar e jogar para setembro um possível novo reajuste. Segundo eles, as negociações continuariam até lá. Porém, já estamos quase em julho e nenhuma reunião do CNS foi chamada.

O que o governo fez enquanto isso? Restringiu mais direitos dos servidores e ampliou o gasto com OSs

Isso mesmo, nesse curtíssimo período Rogério Santos já:
– acabou com o AUXÍLIO-DOENÇA;
– diminuiu pela metade os prazos/valores da LICENÇA ACOMPANHANTE;
– colocou mais exigências no ESTÁGIO PROBATÓRIO;
– diminuiu pela metade o período de avaliação/reavaliação de readaptação da LICENÇA MÉDICA;
– cortou o VALE-TRANSPORTE para apenas 2 conduções diárias;
– e já mandou para Câmara restrições à GRATIFICAÇÃO DE COMPLEXIDADE.

Por outro lado, ampliou a possibilidade de atuação das Organizações Sociais (OSs). As OSs que já podiam operar na Saúde, Ensino, Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico, Direitos Humanos, Defesa da Cidadania, Meio Ambiente, Cultura, Esporte, Lazer e Assistência Social. Agora também poderão atuar na área do Turismo e Economia Solidária.

Só na Saúde, entre janeiro de 2016 e abril de 2022, Santos já repassou R$ 856 milhões para as OSs. Todo mês, 26% do caixa da Saúde é desviado para essas empresas.

TINHA DINHEIRO EM FEVEREIRO, TEM DINHEIRO AGORA, MAS SEM MOBILIZAÇÃO…

Só a mobilização no começo do ano fez o governo sair dos 7%, avançar para 9% e depois 10,06%. Infelizmente não conseguimos nos mobilizar o suficiente para garantir pelo menos a inflação de todo o período sem reajuste.

De lá pra cá, o objetivo do governo ficou mais explícito do que nunca: ECONOMIZAR AO MÁXIMO COM OS SERVIDORES PARA AUMENTAR O DINHEIRO DAS OSs.

Só a mobilização direta dos servidores pode mudar essas prioridades do governo. É um cabo de força. Quanto mais pressionamos, mais conseguimos. Quanto mais afrouxamos, mais dinheiro vai para as empresas.