Foto da galeria

Mais um show de horrores protagonizado pelos vereadores de Santos na sessão de ontem (14/10/2021) que votou as Emendas e a redação final do Projeto de Lei Complementar 30/2021. Esse Projeto aumenta o tempo de trabalho dos servidores para alcançarem a aposentadoria e diminui os ganhos dos atuais aposentados e pensionistas, e de quem conseguir se aposentar no futuro.

Sem diálogo

Nenhuma Emenda foi aprovada. Isso já mostra um pouco a tônica da falta de diálogo do governo e vereadores com os servidores. Mas olhando mais de perto a coisa fica mais feia, muitas Emendas rejeitadas apenas minimizariam um pouco o ataque, sem trazer custo nenhum para o IPREV ou Prefeitura.

A não aprovação de nenhuma Emenda foi apenas a cereja no bolo de todo o processo autoritário que foi essa Reforma da Previdência. Primeiro o prefeito mandou o Projeto direto para Câmara com pedido de urgência sem falar nada para os servidores. Depois, até fez uma reunião com o sindicato e representantes da categoria, mas sem escutar nada, só para informar que o Projeto seria votado e pronto.

Machismo

O vereador Rui de Rosis (PSL), líder do governo na Câmara, sempre exalou machismo, mas na sessão de ontem ele se superou. A cada fala de uma das vereadoras o mesmo ficava debochando e gesticulando. Chegou ao cúmulo de interromper a fala das vereadoras Débora Camilo (PSOL) e Telma de Souza (PT) falando por cima, gritando e dando chilique.

Sem máscaras

No sentido figurado, as máscaras dos vereadores-capachos já caíram faz tempo. Já sabemos exatamente a posição subalterna que possuem e ostentam sem vergonha nenhuma na cara. Porém, as máscaras reais, as sanitárias que previnem a transmissão do Covid-19, também estão sendo sumariamente ignoradas nas sessões da Câmara por alguns vereadores.

Os vereadores Rui de Rosis (PSL) e Fábio Duarte (PODE) ficaram a sessão INTEIRA sem máscara. E a desculpa que estavam tomando água ou café não cola, pois continuaram sem máscara 100% do tempo durante a sessão. Se levantaram várias vezes para falar com outros vereadores, foram à Mesa Diretora, ao banheiro etc, tudo sem máscara.

Um enorme desrespeito a todos os trabalhadores da Câmara que são obrigados a ficar no mesmo ambiente, ao público que vai assistir a sessão e a todas as famílias das 2.131 vítimas fatais da Covid-19 em Santos.