FUNCIONÁRIOS DA SAÚDE DE SANTOS

Os servidores municipais que trabalham na rede de saúde de Santos em plantões de 180 horas continuam sem uma resposta sobre o erro no cálculo do pagamento das horas trabalhadas.

Eles estão desde o meio desse ano sem receber uma parte do que lhes é devido. Ao lado do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos – SINDSERV, os trabalhadores foram até a sede da Secretaria Municipal de Saúde, na tarde desta quinta-feira (6), para cobrar explicações, mas saíram de lá ainda sem resposta, apenas com uma nova reunião marcada para a próxima quinta-feira (13), às 10h. É necessário o comparecimento de todos os funcionários afetados.

Novela

Em 25 de agosto o SINDSERV e os trabalhadores se reuniram com o chefe de Departamento Hospitalar, Marco Sérgio Duarte, para relatar o problema, cobrar a correção dos cálculos e solicitar o ressarcimento das horas já trabalhadas e não pagas.

Como não houve resposta, no dia 15 de setembro o sindicato enviou ofício ao prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) e ao secretário de Saúde, Marcos Calvo, pedindo providências.

A Prefeitura não respondeu.  Os servidores então fizeram um ato na Praça Mauá, no dia 20 de setembro, para denunciar a situação. Outro ato foi realizado na Câmara, no dia 26.

Nesta quinta (6), os servidores voltaram a constatar o descaso da administração. Um grupo de plantonistas foi até a Secretaria de Saúde e não foi recebido. Depois de uma hora e 15 minutos de espera, a assessora Carolina Osawa finalmente foi até o saguão do gabinete do secretário e agendou uma nova reunião para o dia 13 de outubro, às 10 horas.

Cálculo errado

Para a imprensa a SMS afirmou, em nota, que não procede a informação de que não estão sendo pagas horas extras. Ressaltou, ainda, que “As escalas de plantão são elaboradas de acordo com a jornada mensal de horas previstas no contrato de trabalho do servidor. Dessa forma, qualquer  excedente é revertido em hora extra, cujo pagamento está sendo realizado regularmente”.

Em seu discurso a Prefeitura joga um elemento que nada tem a ver com a questão – horas extras- para confundir e criar uma cortina de fumaça no ponto crucial da questão, que é bem simples: os funcionários estão trabalhando algumas horas de graça.

O SINDSERV reitera que todos os funcionários públicos da Secretaria de Saúde que trabalham no regime de 180 horas estão sendo lesados com o novo cálculo dos plantões. No novo cronograma da Prefeitura, os servidores estão trabalhando mais plantões do que é estipulado no contrato de trabalho. Essas horas a mais não estão sendo calculadas como extras e até o momento a SMS não apresentou planilhas demonstrando o contrário.

Portanto, existem mais plantões programados para serem realizados durante o ano do que o correto pela carga horária. Desde o meio do ano os funcionários já fizeram uma média de três plantões a mais do que deveriam e existem outros programados até o fim do ano que excedem a carga horaria de 180 horas.

A nova escala de plantões não foi discutida com os trabalhadores e nem com o sindicato. Os servidores precisam continuar mobilizados até que o problema seja sanado.

TODOS NA REUNIÃO DO DIA 13

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.