Entre o fim de 2018 e o início de 2019, duas carreiras de servidores sentiram a mão pesada do Paulinho. Professores Adjuntos (PADs) foram atacados com a Portaria 95 (que pune os professores que tiverem afastamentos por qualquer motivo – até os previstos em Lei, exceto acidente de trabalho). A portaria, publicada em dezembro de 2018, também implicou na retirada abrupta das aulas de informática (POIE). Houve reação, mas a vitória, parcial, veio pela via judicial.

E janeiro de 2019, o alvo foram os Guardas Municipais, com a publicação de um Decreto que pune os profissionais que ficassem doentes, tirando a Licença Médica (um afastamento Legal) das ressalvas do Adicional de Regime Especial de Trabalho. Antes do Decreto, não havia qualquer impedimento para os Guardas do Regime Especial (“caracterizado pelo exercício de atividades de risco”) receberem o adicional. Com o decreto, se o servidor ficasse doente e precisasse faltar 1 dia no mês, já perderia 25% do adicional, se faltasse 2 dias perderia 50% e faltando 3 dias perderia todo o adicional no mês. Houve mobilização e o decreto foi revogado.

NÃO VOTE NELES:

– Rogério Santos (PSDB), ex-secretário de governo, candidato a prefeito indicado por Paulo Alexandre;
– Banha (MDB), vereador por 5 mandatos, candidato a prefeito;
– Ademir Pestana (PSDB), vereador, candidato ao 5º mandato;
– Adilson Junior (PP), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Audrey Kleys (PP), vereadora, candidata ao 2º mandato;
– Augusto Duarte (PSDB), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Benedito Furtado (PSB), vereador, candidato ao 6º mandato;
– Boquinha (PL), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Braz Antunes (PSDB), ex-vereador, candidato ao 4º mandato;
– Bruno Orlandi (DEM), vereador, candidato ao 2ª mandato;
– Cacá Teixeira (PSDB), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Carabina (PSDB), ex-vereador, candidato ao 3º mandato;
– Dr. Catapreta (PP), suplente de vereador, candidato ao 1º mandato;
– Fabiano da Farmácia (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Hugo Duppre (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º Mandato;
– Lincoln Reis (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Manoel Constantino (PSDB), vereador, candidato ao 10º mandato;
– Pastor Roberto de Jesus (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Paulo Mansur (PP), empresário (sobrinho de Beto Mansur, condenado por manter trabalhadores em situação análoga à escravidão e ex-prefeito que deixou os servidores 8 anos sem reajuste), candidato a vereador;
– Rui de Rosis (PSL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Sergio Santana (PL), vereador, candidato ao 3º mandato;
– Zequinha Teixeira (PP), vereador, candidato ao 3º mandato.

OUTROS MOTIVOS:

– Parte 1 (introdução);
– Parte 2 (campanhas salariais);
– Parte 3 (granada no bolso);
– Parte 4 (IPREV);
– Parte 5 (CAPEP);
– Parte 6 (aumento do desconto);
– Parte 7 (Titularidade);
– Parte 8 (ataque aos servidores doentes);
– Parte 9 (calotes);
– Parte 10 (Portarias e Decretos);
Parte 11 (incorporações);
Parte 12 (terceirizações);
Parte 13 (ver para não esquecer).