Em 2017, a parte que cabe à Prefeitura no custeio do nosso plano de saúde não foi repassada pelo Governo integralmente todos os meses. Enquanto isso, os servidores foram descontados mensalmente, mesmo passando perrengues quando precisavam da assistência. A categoria respondeu com mais manifestações contra o calote e com a campanha #ForaEustásio. Os vereadores, como sempre, se omitiram.

A exemplo de outros anos, a irresponsabilidade administrativa na autarquia gerou descredenciamento de hospitais e clínicas importantes em 2018 por falta de pagamento, gerando mais angústia e a reprovação das contas no TCE-SP. Em atos e manifestação o governo chegou a falar em terceirização, irritando ainda mais os trabalhadores.

Em outubro de 2018, a pressão surtiu efeito: Eustázio caiu, o Governo pagou parte da dívida e prometeu pagar o restante até dezembro.

No começo de 2019, o prefeito reconheceu que tinha culpa no cartório e concedeu mais 0,5% de contribuição do governo para a CAPEP, mas isso só durou por um ano. Em 2020 quando os servidores mais precisaram da CAPEP por conta do COVID-19, Paulo Alexandre cortou os 0,5% e as dívidas da CAPEP voltaram a aumentar, chegando agora à R$ 13 MILHÕES!

Por isso, mais uma vez os servidores irão se manifestar HOJE (12/11, quinta-feira) às 17h no Paço Municipal. PARTICIPE!

NÃO VOTE NELES:

– Rogério Santos (PSDB), ex-secretário de governo, candidato a prefeito indicado por Paulo Alexandre;
– Banha (MDB), vereador por 5 mandatos, candidato a prefeito;
– Ademir Pestana (PSDB), vereador, candidato ao 5º mandato;
– Adilson Junior (PP), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Audrey Kleys (PP), vereadora, candidata ao 2º mandato;
– Augusto Duarte (PSDB), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Benedito Furtado (PSB), vereador, candidato ao 6º mandato;
– Boquinha (PL), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Braz Antunes (PSDB), ex-vereador, candidato ao 4º mandato;
– Bruno Orlandi (DEM), vereador, candidato ao 2ª mandato;
– Cacá Teixeira (PSDB), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Carabina (PSDB), ex-vereador, candidato ao 3º mandato;
– Dr. Catapreta (PP), suplente de vereador, candidato ao 1º mandato;
– Fabiano da Farmácia (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Hugo Duppre (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º Mandato;
– Lincoln Reis (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Manoel Constantino (PSDB), vereador, candidato ao 10º mandato;
– Pastor Roberto de Jesus (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Paulo Mansur (PP), empresário (sobrinho de Beto Mansur, condenado por manter trabalhadores em situação análoga à escravidão e ex-prefeito que deixou os servidores 8 anos sem reajuste), candidato a vereador;
– Rui de Rosis (PSL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Sergio Santana (PL), vereador, candidato ao 3º mandato;
– Zequinha Teixeira (PP), vereador, candidato ao 3º mandato.

OUTROS MOTIVOS:

– Parte 1 (introdução);
– Parte 2 (campanhas salariais);
– Parte 3 (granada no bolso);
– Parte 4 (IPREV);
– Parte 5 (CAPEP);
– Parte 6 (aumento do desconto);
– Parte 7 (Titularidade);
– Parte 8 (ataque aos servidores doentes);
– Parte 9 (calotes);
– Parte 10 (Portarias e Decretos);
Parte 11 (incorporações);
Parte 12 (terceirizações);
Parte 13 (ver para não esquecer).