Em 2016, o pagamento do 13° atrasou, prejudicando o Natal dos servidores. Um atraso não ocorria a mais de 20 anos! O dinheiro só veio na véspera do Natal porque houve mobilização. Referente ao exercício de 2017 o depósito só aconteceu em janeiro de 2018.

Mas esse não foi o único tipo de atraso cometido pelo prefeito e seu secretário de Governo, Rogério Santos, contra os servidores. As Licenças Prêmio que historicamente são pagas em no máximo 3 meses, continuam demorando mais de três anos.

Outro calote aprovado oficialmente pelos vereadores foi dado pelo Projeto de Lei 184/2016. Ele jogou praticamente todos os pagamentos de quem ganhou na Justiça qualquer ação contra a Prefeitura (PAV, horas-extras, adicionais…) para precatório. Ou seja, mais e mais anos de demora para receber. Em 2016, o valor máximo para o processo ganho não cair no precatório era de R$ 47.042,00. Em 2017 caiu para R$ 35.000,00 e em dezembro do mesmo ano, Paulo Alexandre e seus lacaios vereadores, em novo Projeto de Lei, abaixaram para apenas R$ 15.000,00 (menos do que um quinto do que deveria ser).

Em 2016 também teve o calote do Paulinho no PDR. Esse ano a história se repete. O SINDSERV sempre alertou os servidores para não se iludirem com essa gratificação, pois dependendo da maré os prefeitos de plantão colocam ou retiram e os trabalhadores ficam a ver navios (foi assim em Cubatão, São Vicente e Guarujá). Temos que lutar para incorporar todo o valor do PDR nos salários!

NÃO VOTE NELES:

– Rogério Santos (PSDB), ex-secretário de governo, candidato a prefeito indicado por Paulo Alexandre;
– Banha (MDB), vereador por 5 mandatos, candidato a prefeito;
– Ademir Pestana (PSDB), vereador, candidato ao 5º mandato;
– Adilson Junior (PP), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Audrey Kleys (PP), vereadora, candidata ao 2º mandato;
– Augusto Duarte (PSDB), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Benedito Furtado (PSB), vereador, candidato ao 6º mandato;
– Boquinha (PL), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Braz Antunes (PSDB), ex-vereador, candidato ao 4º mandato;
– Bruno Orlandi (DEM), vereador, candidato ao 2ª mandato;
– Cacá Teixeira (PSDB), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Carabina (PSDB), ex-vereador, candidato ao 3º mandato;
– Dr. Catapreta (PP), suplente de vereador, candidato ao 1º mandato;
– Fabiano da Farmácia (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Hugo Duppre (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º Mandato;
– Lincoln Reis (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Manoel Constantino (PSDB), vereador, candidato ao 10º mandato;
– Pastor Roberto de Jesus (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Paulo Mansur (PP), empresário (sobrinho de Beto Mansur, condenado por manter trabalhadores em situação análoga à escravidão e ex-prefeito que deixou os servidores 8 anos sem reajuste), candidato a vereador;
– Rui de Rosis (PSL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Sergio Santana (PL), vereador, candidato ao 3º mandato;
– Zequinha Teixeira (PP), vereador, candidato ao 3º mandato.

OUTROS MOTIVOS:

– Parte 1 (introdução);
– Parte 2 (campanhas salariais);
– Parte 3 (granada no bolso);
– Parte 4 (IPREV);
– Parte 5 (CAPEP);
– Parte 6 (aumento do desconto);
– Parte 7 (Titularidade);
– Parte 8 (ataque aos servidores doentes);
– Parte 9 (calotes);
– Parte 10 (Portarias e Decretos);
Parte 11 (incorporações);
Parte 12 (terceirizações);
Parte 13 (ver para não esquecer).