– Rogério Santos (PSDB), ex-secretário de governo, candidato a prefeito indicado por Paulo Alexandre;
– Banha (MDB), vereador por 5 mandatos, candidato a prefeito;
– Ademir Pestana (PSDB), vereador, candidato ao 5º mandato;
– Adilson Junior (PP), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Audrey Kleys (PP), vereadora, candidata ao 2º mandato;
– Augusto Duarte (PSDB), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Benedito Furtado (PSB), vereador, candidato ao 6º mandato;
– Boquinha (PL), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Braz Antunes (PSDB), ex-vereador, candidato ao 4º mandato;
– Bruno Orlandi (DEM), vereador, candidato ao 2ª mandato;
– Cacá Teixeira (PSDB), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Carabina (PSDB), ex-vereador, candidato ao 3º mandato;
– Dr. Catapreta (PP), suplente de vereador, candidato ao 1º mandato;
– Fabiano da Farmácia (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Hugo Duppre (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º Mandato;
– Lincoln Reis (PL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Manoel Constantino (PSDB), vereador, candidato ao 10º mandato;
– Pastor Roberto de Jesus (REPUBLICANOS), vereador, candidato ao 4º mandato;
– Paulo Mansur (PP), empresário (sobrinho de Beto Mansur, condenado por manter trabalhadores em situação análoga à escravidão e ex-prefeito que deixou os servidores 8 anos sem reajuste), candidato a vereador;
– Rui de Rosis (PSL), vereador, candidato ao 2º mandato;
– Sergio Santana (PL), vereador, candidato ao 3º mandato;
– Zequinha Teixeira (PP), vereador, candidato ao 3º mandato.

Para transformar a cidade em um eterno canteiro de obras, dar muito dinheiro às empresas amigas e fazer caixa para bancar as terceirizações dos serviços públicos, o Governo arrochou os salários dos servidores, descontou os dias parados na greve, diminuiu sua parte nos aportes ao Iprev, aumentou sua dívida junto à Capep e continua sucateando unidades de saúde, escolas e demais serviços.

Agora, vereadores em busca de reeleição e políticos que tentam sentar na cadeira de prefeito estão pedindo o seu voto.

Nas próximas publicações traremos um resumo dos ataques que cada um destes senhores ajudou a disparar contra os servidores e contra o serviço público.

Não se engane, a digital do candidato do prefeito, Rogério Santos (PSDB), está impressa em cada uma destas investidas contra a categoria.

O ex-secretário de Governo e braço direito de Paulo Alexandre faz exatamente a linha dos políticos defensores da famigerada Reforma Administrativa e do discurso falacioso do enxugamento máximo do Estado, que tanto demoniza os servidores e desqualifica os serviços públicos para privilegiar a terceirização e a privatização.

Além disso, a candidatura deste senhor é alvo de denúncia por uso da máquina pública para eleição, com supostas doações de quase todos os cargos comissionados em dinheiro ou em trabalho para a campanha.

Vale o reforço que este tipo de situação é uma prévia do que significa de fato a Reforma Administrativa. Se ela passar no Congresso, será o fim dos concursos públicos e da estabilidade. Todos os servidores vão acabar sendo coagidos direta ou indiretamente a “contribuir” financeiramente e como cabos eleitorais se quiserem continuar em seus cargos.

Não perca as nossas próximas publicações onde mostraremos como se comportaram esses candidatos nas CAMPANHAS SALARIAIS e em inúmeros ATAQUES contra os direitos dos servidores.

– Parte 1 (introdução);
– Parte 2 (campanhas salariais);
– Parte 3 (granada no bolso);
– Parte 4 (IPREV);
– Parte 5 (CAPEP);
– Parte 6 (aumento do desconto);
– Parte 7 (Titularidade);
– Parte 8 (ataque aos servidores doentes);
– Parte 9 (calotes);
– Parte 10 (Portarias e Decretos);
Parte 11 (incorporações);
Parte 12 (terceirizações);
Parte 13 (ver para não esquecer).